07 dicas que comprovam que não precisamos de dom para desenhar. (Ainda penso na #2!)

Tempo de leitura: 10 minutos

“Não nasci para isso…”

(Todas as fontes consultadas estão ao final desse artigo)

Quando comecei a me interessar por desenho (eu era garoto, já faz um tempinho…), a maior barreira que eu tinha (e via que isso não era só comigo) era o fato de que eu definitivamente “não havia nascido para aquilo”.
Eu olhava os desenhos feitos por pessoas próximas ou mesmo em revistas em quadrinhos e pensava:
“Ahhh se eu conseguisse também…”

Passaram-se os anos, a vida profissional me levou para outros caminhos, mas aquele interesse pelo desenho nunca se apagou de fato, ficando “escondido em algum cantinho do coração”.

Pois bem, essa vontade “acendeu” de novo em mim e cá estou eu falando com meus leitores em um Blog que só trata desse assunto!!! (Nossa… como eu sou “ousado”… um Blog só meu falando de um assunto que me causava ao mesmo tempo admiração e frustração na infância…!!!).

Mas… e aquele sentimento do “não nasci para isso”?? Afinal, se a admiração por desenhar não morreu, a “verdade dos fatos” também não, ou seja, eu simplesmente não sou capaz.

Mas, olhando para algumas personalidades do esporte, artes e da ciência, cheguei à uma singela conclusão:

ESQUEÇA ISSO!!! O “NÃO NASCI PARA ISSO” SIMPLESMENTE NÃO EXISTE!!!

O que existe é muito treino e dedicação e vou te mostrar ao longo desse artigo que o desenho é uma habilidade que pode ser desenvolvida, assim como qualquer outra, como por exemplo, um esporte, um estilo de dança, um outro idioma, etc…

O que realmente importa é ter prazer no desenvolvimento de uma atividade e dessa forma ela se torna mais natural e mais comum, resultando então em um processo de aprendizado menos trabalhoso.

A diferença entre DOM e TALENTO

De acordo com os dicionários, a palavra “dom” exprime uma dádiva ou mesmo uma aptidão inata do ser humano e que o faz, desde seus primeiros anos de vida, ter mais facilidade em desempenhar uma determinada atividade. Um exemplo de dom é o caso de uma criança que tem facilidade de escrever, ler ou pintar sem nunca ter sido submetida a nenhum tipo de treinamento ou orientação sobre esse assunto.
É claro que não são todas as pessoas que nascem com um dom, mas as pessoas que o possuem têm o poder de transformar o mundo ao seu redor, seja na música, na arte, na ciência, nos negócios, na religião, etc…

Já o que chamamos de “talento” é uma habilidade que pode vir a ser desenvolvida pelo indivíduo, mesmo que ele não tenha familiaridade com uma determinada atividade, como por exemplo, tocar um instrumento musical. Se ele for desenvolvido para a execução daquela atividade, em determinado momento ele será capaz de executá-la de acordo com seu desejo ou necessidade.

É importante deixar claro que tanto o dom quanto o talento precisam ser “lapidados”, trabalhados e desenvolvidos para que atinjam cada vez mais a perfeição (ou próximo disso).

Ok, mas quando eu cito personalidades como Ayrton Senna, Oscar “Mão Santa” Schimidt, Pelé, Mozart, Thomas Edson, etc… estou falando de pessoas muito acima da média e que nasceram com um dom em suas áreas de atuação e são ainda agentes inspiradores até para quem não tem o mesmo tipo de atividade que essas pessoas tinham. Essas pessoas nasceram sim com um dom, uma habilidade realmente inerente à existência de cada uma delas e que provavelmente são únicas, mas existe uma característica que pode nos aproximar de cada uma delas: a determinação!!

Isso mesmo… essas pessoas treinavam e repetiam suas tentativas exaustivamente, não importando quão adversas fossem as situações. Para elas, o “esforço” era subjetivo, pois elas AMAVAM o que faziam!!

Apenas para citar dois exemplos contemporâneos:

O “Mão Santa” era obstinado pelo que fazia! Em todas as equipes pelas quais passou, ele simplesmente realizava 1.000 arremessos todos os dias após os treinos e só ia embora após acertar 20 arremessos consecutivos de 03 pontos e certa vez, mesmo com a mão engessada por 25 dias devido a uma fratura, não faltou a nenhum treino.

Ayrton Senna foi um dos maiores pilotos de todos os tempos e não é segredo que um de seus “pontos fracos” eram as corridas na chuva.

Veja o que diz sua irmã, Viviane Senna, sobre obstinação do piloto:

“Começou a chover e ele começou a perder um pouco o controle do kart e acabou saindo da corrida por causa e chuva e foi para a grama. Então, o que ele fez? Toda a vez que chovia, em vez de ficar choramingando em casa, ele tinha 13 anos, (Ayrton) pegava o kart e ia para algum lugar de São Paulo e treinava até escurecer”, diz Viviane, responsável pelo Instituto Ayrton Senna.”

Poderíamos citar vários outros exemplos de persistência e desenvolvimento de habilidades, mas a mensagem principal é:

SE VOCÊ GOSTA REALMENTE DE DESENHAR, VOCÊ É CAPAZ!!

Agora, voltando aos “simples mortais” como nós, que não nasceram com nenhum dom especial, veja como você pode sim desenvolver sua habilidade em Desenho Realista. 

Como desenvolver suas habilidades em Desenhos Realistas

1. Faça com amor

Ok, estamos falando de uma paixão acima de tudo, não é? Vai começar a estudar o assunto? Então, a primeira coisa a fazer é literalmente “se entregar” para aquilo.

O Desenho Realista, como em qualquer arte, “exige” dedicação mas, acima de tudo, você precisa ter prazer no que faz.

Seja um apaixonado por esse tipo de desenho! (Aliás, creio que você já seja, caso contrário você não estaria visitando esse Blog!) 

2. Pesquise sobre o assunto (estude mesmo!)

Já ouviu falar de Bobby Fisher?

Ele foi um grande mestre enxadrista americano na década de 70 e levava tão a sério esse jogo que acabou aprendendo o idioma russo apenas para que fosse possível pesquisar as revistas e livros nessa língua com o objetivo de aprender mais como seus “adversários comunistas” jogavam.

Calma gente, não precisa sair aprendendo outra língua para desenhar!! Nada disso…  

O que eu quero dizer com isso é que a leitura de artigos e publicações à respeito de determinado assunto te ajuda a ficar cada vez mais inserido naquele contexto e, consequentemente, um pouco mais conhecedor do assunto. E felizmente, com Desenhos Realistas não é diferente! “Treine” a sua mente e se envolva mesmo no assunto.

Quer conhecer mais?

Pesquise sobre o Realismo, que foi um movimento artístico do século XIX e que teve como principal expoente o pintor Gustave Coubert, mas…. Calma aí!!

Não… não quero que você se torne um historiador ou crítico de arte, mesmo por quê o objetivo é aprender a arte do Desenho Realista e se divertir com isso, sem qualquer tipo de compromisso, mas uma pesquisa rápida na internet pode ajudar a se familiarizar ainda mais com esse assunto!

(Terminei essa dica, mas agora eu fiquei pensando no tal do Bobby Fischer… o cara devia gostar muito de Xadrez mesmo…)

3. Simplesmente… TENTE!

Acho que esse é o primeiro desenho de todo mundo!!

Se tem algum momento em que a quantidade é mais importante do que a qualidade, creio que é quando a gente está aprendendo a desenhar!

Lembra do Senna e do Oscar? Pois é… pode acreditar que as primeiras tentativas de cada um deles não foram exatamente perfeitas (aliás, muito longe disso…).

Vergonha? Medo de mostrar para alguém mais “profissa” do que você? Preocupado com o que falarão? De jeito nenhum…

Lembre-se que você está aprendendo e todos nós temos uma curva de aprendizado!!

4. Ter uma referência pode ajudar.

Tem muita gente boa nesse mercado, vários artistas que podem te influenciar de alguma forma e a inspiração nos resultados alcançados por cada um deles pode te ajudar também. É a velha máxima que diz: “Sozinho pode demorar mais!”

Opa… Só não esqueça do que falamos lá em cima sobre “determinação”!! Se você se dedicar, pode sim alcançar os mesmos resultados. 

5. O mais simples vem primeiro.

Pois é, você começa a se dedicar ao assunto, conhece um monte de artistas legais e começa a acompanhar os trabalhos de cada um deles, mas o perigo de se frustrar é enorme!! 

Como eu já citei, tenha em mente que você está apenas começando a desenhar e que por mais que você admire os trabalhos do Alexandre Porto, Ivan Querino ou Charles Laveso, eles são “os caras” do desenho (existem vários, mas esses são os que eu gosto) e querer já em seu primeiro dia desenhar como um deles é louvável, mas cada um tem a sua própria curva de aprendizado (já falamos sobre isso lá para cima…)

Comece pelos desenhos mais simples, mas sem cobranças de desenhos “que mais parecem fotos” já em seus primeiros trabalhos.

6. Nunca esqueça de olhar o “passado”

O processo de melhoria é contínuo! Isso é um fato!

À medida que novos desenhos vão surgindo, novas técnicas são aprendidas e novos ciclos se iniciam.

É importante que você sempre revisite os seus desenhos antigos para que descubra o que deu certo e o que não deu afim corrigir as deficiências para os próximos trabalhos.

Dica:

  • Ao rever um desenho antigo, não se pergunte “Por que desenhei tão mal?”
  • A pergunta é: “Como posso melhorar?”

O que você tem que manter em mente é que não existe o “desenho ruim”, mas sim o “desenho a ser melhorado”.

7. Faça de novo… e de novo… e de novo…

Acho que essa dica completa o “pacote”!

O que você faz mais todos os dias acaba valendo mais do que aquilo que você faz apenas uma vez por semana.

O Desenho Realista é muito prazeroso de se executar, é um passatempo que nos traz orgulho e quando você percebe a sua melhora, fica mais motivado a continuar. DESISTIR, NUNCA!

Conclusão

Você percebeu alguma coisa nessas 07 dicas? Não…? Talvez…?

Olha só, essas dicas servem também para o Desenho Realista, mas são dicas comuns que são aplicadas para o desenvolvimento de qualquer habilidade, ou seja, desenhar é perfeitamente possível, não importa o quão capaz você seja nesse momento.

A “verdade absoluta” que citei no começo desse texto (o famoso “não nasci para isso…”) foi totalmente desconstruída ao longo dessa publicação, pois vimos que através de técnicas conhecidas de nosso dia-a-dia é verdade que você pode desenvolver a habilidade que quiser.

Óbvio que em nenhum momento eu disse que é fácil, que em 30 dias você estará desenhando como os artistas que citei ao longo do texto, pois você precisará se dedicar durante as horas em que estiver estudando, mas… SIM, VOCÊ CONSEGUE!

Eu espero que o post tenha retirado a sua crença de que você não é capaz de criar um desenho se utilizando das técnicas realistas, pois isso depende apenas de amor e dedicação!

Até a próxima!  

Fontes:

  • http://www.administradores.com.br/artigos/cotidiano/dom-e-talento-qual-a-diferenca/98998/
  • http://www.jrmcoaching.com.br/blog/diferenca-entre-dom-e-talento/
  • https://familia.com.br/7298/5-dicas-praticas-para-desenvolver-um-talento
  • https://pt-br.insider.pro/lifestyle/2015-05-18/como-desenvolver-os-seus-talentos/
  • https://www.bonde.com.br/mulher/dicas-rapidas/veja-dicas-profissionais-para-compreender-e-desenvolver-seus-talentos-352078.html
  • https://thinkoutsidebr.wordpress.com/2012/06/04/ayrton-senna-e-o-exemplo-de-empreendedorismo/
  • http://www.oscarschmidt.com.br/atleta/curiosidades/
  • http://esportes.terra.com.br/automobilismo/formula1/2009/interna/0,,OI3737245-EI12988,00-Ayrton+virou+o+rei+da+chuva+depois+de+falhar+diz+Viviane.html

1 comentário


  1. Estou apenas fazendo um teste hj 09/11

Comentários encerrados.